Visitas ao Baú-parte II :Vamos falar de Vénus

Com o Sol em Balança, é boa altura para republicar este texto

Vamos agora adoçar o tom, e hoje fala-se de Vénus, deusa do amor e regente do segundo signo do Zodíaco, Touro e do sétimo, Balança.

Imagem

Como é costume nestas coisas de deusas e deuses, existem várias versões sobre o seu nascimento. Nasceu já adulta, e diz-se que é filha de Úrano, fruto do sémen que se espalhou pelo mar quando Saturno, que também era filho de úrano, o castrou.

Coisa muito complicada esta relação pai e filho, e que será fruto de análise noutra crónica. Relevante astrologicamente será o facto de Saturno e Vénus serem irmãos por parte do pai…

E como também, e é melhor que se vão habituando a isto, no essencial, a estória dela é a mesma de Afrodite, deusa grega , nomes diferentes, identidades próximas. É que a globalização não é coisa exclusiva dos nossos dias. Os Romanos fizeram-na muito bem e assimilaram tudo o que de mais importante as outras civilizações construíram.

Voltando a Vénus, quando chegou ao Olimpo, andaram todos os deuses “à turra” para ficar com ela, arrebatados pela sua beleza.

Tal como agora, naquele tempo, certos favores precisam de ser pagos, e Vulcano tinha ajudado Júpiter numa batalha fornecendo-lhe os raios com que ele derrotou os gigantes, logo teve direito a uma benesse especial.

Pobre de Vénus, presa num casamento de conveniência com um Deus. Está certo! Era um deus, mas feio como sei lá o quê, e ela acabou por se envolver com outros habitantes do Olimpo.

Uma dessa estórias foi abordada na crónica anterior e é mais famosa de todas. Foi a da paixão por Marte, que acabou enredada por uma rede invisível lançada pelo marido ciumento e exposta à risota de todos os outros deuses.

Adoro um pormenor que só mesmo uma deusa seria capaz. Ao ser abandonada por Marte, após a exposição pública, Vénus ressentida lançou-lhe uma maldição. Como qualquer mortal do sexo feminino sabe, este é um estado pouco propício a boas ponderações. E vai que Vénus resolver amaldiçoar Marte fazendo com que ele se apaixonasse por qualquer uma. Obrigadinha Vénus.

A sua ligação com Mercúrio e Baco também encheram páginas de revistas, e os filhos destas relações acabaram por ter o seu lugar. De Mercúrio nasceu Hermafrodito e de Baco Príapo. Todos eles personagens habituais de estórias bem apimentadas.

Há ainda o episódio delicioso, com Adónis, que acabou transformado em cervo, por Marte, muito zangado por ter sido trocado por um mortal. Boa lição para os mortais que se atrevem a meter-se com deusas, não concordam?

E de mitologia o essencial está referido, e traduzindo para astrologia, e com a ajuda de um(a) bom(a) astrólogo(a), através da colocação por signo e casa do planeta Vénus no vosso mapa, das suas dúvidas e certezas, podem obter pistas preciosas sobre como usar este pequeno tesouro, sobre o que apreciam e como a manter feliz. Não vá ela lançar-vos uma maldição…

4 thoughts on “Visitas ao Baú-parte II :Vamos falar de Vénus

  1. Ola amiga, acho que ao estar em escorpiao a minha venus, ja me lançou uma maldição…… mas eu acho que ja aprendi e anulei o feitiço….. beijinho adorei a historia. ❤

  2. Talvez um dós melhores textos, a ” azapar” com uma enorme categoria e humor sobre Vénus e, e, e, ai Deus! Farta de me rir. Brilhante Carmen! Um beijo! Ana Anes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s