Visitas ao Baú: parte VIII- Saturno, ou o Senhor do relógio…

Image

Duas coisas seriam de esperar de uma crónica relativa a Saturno, o senhor do Tempo:

A primeira é que fosse bem estruturada e organizada e que antes de ser publicada fosse sujeita a várias revisões até que chegasse perto da perfeição técnica. Ora, excluindo a última parte, a da perfeição, o restante foi devidamente observado e realizado.

A segunda, seria que tivesse um tom oficial e protocolar, excluísse adjectivos ou qualquer outro enfeite desnecessário de forma a ficar parecida com um relatório instituticional. E quanto a esta… bem… como iniciar oficial e protocolarmente uma crónica que tem início com o herói da estória a mutilar o pai? E como se não bastasse, cometeu este acto munido de uma foice que lhe foi dada pela própria mãe. Acham possível? Eu não fui capaz…

E o que me fez sorrir e abandonar o devido tom sério e carrancudo que tanto agradaria a Saturno, é que ele foi avisado que um dos seus filhos o derrotaria retirando-lhe o poder. Pois é, meu querido Saturno, a seu tempo, (a teu tempo) tudo o que se faz acaba por se pagar.

A verdade, é que, mais tarde, Réia, a esposa deste herói, cansada de perder todos os seus filhos por causa do medo de perder o pelouro de senhor do Olimpo que assombrava o seu esposo, engendrou aquele plano fantástico de lhe dar uma pedra embrulhada em panos, fazendo-o crer que era Júpiter, o seu último filho. E assim se cumpriu o ditado, que sendo actual já devia ter correspondente na antiguidade: quem com ferros mata, com ferros morre. Pensando que a pedra era seu filho, acabou por deixar viver aquele que acabaria por lhe usurpar o tão amado poder. Aquele poder que ele já havia usurpado a seu pai, Úrano.

A bem da verdade importa referir que Úrano tinha o seu mau feitio e que aquela coisa de não gostar dos seus filhos, mais um vez por receio de ser destronado por quem ele próprio criara, não era muito bonita. E tê-los todos presos no interior de Gaia, a sua mulher, (que por acaso também era sua mãe), não lhe serviria de atenuante caso fosse um comum mortal apresentado à justiça divina.

E parece que são sempre as Deusas, levadas pelo seu amor de mãe, (coisa que parece tão forte quando se trata de deusas como de mortais), que conduzem os seus próprios filhos à revolta numa tentativa de reinstalar a justiça. Desta vez, foi Gaia, a mãe de Saturno que lhe entregou uma foice, fabricada com o aço que retirou do seu próprio corpo, para que castrasse o seu pai acabando assim com aquela inconveniente situação. Como é evidente, o jogo do poder estava directamente relacionado com a questão da testosterona… e assim sendo, Rei castrado, Rei posto!

E iniciou-se então o reinado olímpico de Saturno.

Poucas referências se encontram sobre o mesmo e, desta vez, nenhuma referência a casos extra conjugais, tão habituais nestas crónicas, o que diminui bastante o interesse desta peça. Por vezes, é-lhe atribuída a fundação de Roma e, de resto, parece ter-se tratado de uma época tranquila e sem grandes convulsões.

Acabaria por ser destronado do Olimpo pelo seu próprio filho, como ele próprio fizera com o seu próprio pai. Saturno refugiou-se no Lácio onde liderou uma idade de ouro e ensinou aos homens a agricultura e formou outra família. Do mal o menos, da tragédia do poder perdido, partiu para a criação de coisas bem mais positivas. Deu a volta por cima, como podemos ver.

E além desta estória, que mais podem saber sobre este Senhor para quem a paciência e o tempo são essenciais? Que a sua posição em cada mapa astrológico vos indicará, (e já sabem que podem e devem consultar um especialista na área), em que tipo de experiências e em que áreas de vida vos será exigido maior esforço e perseverança. E em quais serão chamados a aceitar limites e estruturas.

Por onde ele andar, (e fiquem sabendo que ele anda, por esta altura, pelo signo de Escorpião), é por onde será necessário demonstrar maior cuidados nas vossas escolhas a fazer.

Por isso, não se admirem se sentirem que na área associada a Balança, ou seja, nos relacionamentos, mais do que nunca importa estruturar muito bem tudo o que se decide, repensando as situações e agindo com cautela e visão de longo prazo. Saturno gosta de ver tudo muito bem feitinho, nem que para isso seja preciso esperar.

 

 

 

 

Anúncios

Visitas ao Baú,parte VII: As fases ou faces da Lua

Image

 

 

E eis que cheguei ao meu reino predilecto…a Lua!

Regente do quarto signo do zodíaco, Caranguejo, a Lua reina sobre a maternidade , as emoções, tudo o que signifique  colo e alimento. Mas também aquilo que por vezes desconhecemos sobre nós próprios e sobre as nossas necessidades emocionais.

Na mitologia aparece sob o nome de Selene, é irmã, parceira e companheira  de Helios.

 Raiz constante de todas as deusas, Ísis, Maria, nela vemos as várias fases ou faces do feminino, dela encontramos partes em todas as Deusas.

Por agora, vou falar-vos da bela estória de amor de Selene com Endímion .

 Tem todos aqueles ingredientes a que já nos habituamos.

Deuses e mortais , todos igualmente vitimas da seta  malandra do Cupido, ultrapassando limites e fronteiras de todo o tipo. Mas afinal, quem é que alguma vez ouviu de uma paixão equilibrada, social e culturalmente conveniente??  Se as há, serão como alguns mitos urbanos…nunca ninguém sabe realmente quem são os intervenientes da história, mas ouvimos contar que…

Ia  Selene no seu passeio pelos céus, quando o seu olhar se encantou com a  beleza de um jovem pastor que dormia ao relento com o seu rebanho, e fez parar a noite para poder admirar o rosto daquele mortal, despertando-o com os seu dedos de raios de luar.

Para os encontros amorosos vestia-se de prata e branco, e embelezava seus olhos, azuis claro com as cores do amanhecer, trocavam olhares ao longe e beijava-o com seus raios de luz.

Apesar da impossibilidade de se encontrarem fisicamente, os outros deuses indignaram-se com aquele amor, entre Deusa e mortal  e pediriam a Zeus que o punisse.

Tal como para o mais comum dos mortais masculinos, também Zeus se sentia pouco á vontade para decidir sobre estes assuntos dos coração e preferiu passar a responsabilidade à  sua esposa oficial, Hera, para que pensasse no castigo a dar ao casal apaixonado.

Mas o coração feminino de Hera deixou-se encantar por aquele amor. Desencantou então uma solução, para que não houvesse que dizer sobre a diferença de estatutos, pediu a Zeus para conceder a  imortalidade a Endímion.

Parece que as discussões entre Zeus e Hera, eram constantes e ciumentas e este encanto da esposa pelo pastor não foi muito do seu agrado do deus dos Deuses.

Por isso ele acedeu, porém uma condição, manteria o jovem e imortal, para que pudessem ele pudessem continuar a viver a sua história de amor, mas ele estaria sempre dormindo.

Hera, partilhando a dor de Selene, e conhecendo bem os caminhos do coração que sofre por amor , tentou aligeirar a sentença dada por Zeus.

Num acordo com Hipno, Deus da noite pediu-lhe que cumprisse as ordens de Zeus mas acrescentou o pedido para que Endímion dormisse com olhos abertos para que pudesse contemplar Selene. Durante os seus sonhos poderia reviver a sua bela história de amor e que nos seus sonhos poderia reviver todos os momentos memoráveis que tinha passado  com a sua amada.

E assim, a cada noite Selene entregava à sua tarefa de percorrer os céus no seu carro prateado aos seus bem treinados cavalos brancos e despindo-se das suas roupas luminosas ia ao encontro do seu amante. E em sonhos se encontravam com tanta força como se fosse realidade.

De amor irreal nasceram as 50 filhas da Lua e diz-se que destas nasceram os sonhos femininos das que amam à distância, dos amores impossíveis que se concretizam apenas no reino dos sonhos.

Voltando um pouco à Astrologia, a Lua, juntamente com o Sol e o Ascendente, forma a estrutura básica da personalidade.

Ela rege a forma como reagimos aos acontecimentos emocionais, conta-nos como gerimos os impulsos emocionais, descreve de que cor é a nossa raiva, alegria, tristeza.

 E na vossa próxima consulta astrológica ouçam bem o que a vossa Lua tem para vos contar. Poderão ficar bem mais conscientes sobre o que precisam fazer para encontrar o vosso ponto de equilíbrio emocional, sobre como encontrar o alimento que a vossa Lua necessita.

 

Visitas ao Báu-parte VI: O chefe de todos os deuses, sua excelência o senhor Júpiter…

O chefe de todos os deuses, sua excelência o senhor Júpiter…

Imagem

Conheça-o melhor,

Vamos então entrar na fabulosa história de vida do Chefe de todos os deuses do Olimpo.

E começamos por ficar a saber que a sua ascensão a esta posição não foi nada tranquila, como aliás não era hábito daquela altura. As transições de poder, eram coisa muito séria e a exigir reunião de apoios importantes. Nesse tempo Saturno governava o Olimpo como senhor absoluto mas foi avisado que seria afastado do trono por um filho por si gerado. 

Então, decidindo não correr riscos perder a sua poderosa posição, tomou a belíssima e radical decisão de comer todos os seus filhos logo á nascença. Reia, a sua esposa já se sentia um pouco cansada de ver os seus filhos entregues a este triste destino, decidiu pregar-lhe uma partida. Em vez de lhe entregar Júpiter, enrolou uma pedra num tecido e Saturno convencido de que continuava livre de perigo continuou o seu rigoroso e firme governo.

Assim que Júpiter se viu crescido, e apoiado no conselho de Metis, a Prudência, enfrentou o seu pai dando-lhe uma beberagem que o fez vomitar o seu filhos anteriormente deglutidos. Por favor, não se percam muito em imaginar esta imagem, porque estou certa que nos casos dos deuses este ato não é tão desagradável como no caso dos humanos.

Depois de assumir o comando do Olimpo, Júpiter casou com Juno, sua irmã e como sempre acontece nestes casos de Deuses ,sim só no caso de Deuses, porque estas coisas não são comuns entre mortais, fartou-se de dar arrelias envolvendo-se, umas vezes mais romanticamente outras mais de passagem, quer com mortais e com deusas. 

Destas aventuras teve muitos filhos, entre eles , os mais conhecidos seriam Vénus e Marte que não deixariam também eles de ser protagonistas de histórias igualmente atribuladas.

Há um outro filho muito famoso , Baco que foi tema preferido de muitos artistas inspirando muitas obras. E o seu nascimento tem uma estória engraçada, cheia de mensagens subliminares. Por mim acho bom estar atenta e ler com atenção. 

O nosso herói, quando queria um passar um bom tempo envolvido com belas com mortais tinha por hábito assumir formas engraçadas, ouve-se dizer que chegou a aparecer como um touro branco, uma outra vez como um belo e gracioso cisne. Num desses encontros sob disfarce encontrou a bela Semele que acabou por conceber um filho dessa relação. Esta ingénua mortal quando soube que estava grávida, achou que isso lhe dava o direito de conhecer o pai do seu filho na sua forma original.

Cansado de a dissuadir, mesmo os Deuses se cansam de tentar mudar a determinação de uma mulher, seja ela mortal ou deusa, acabou por aceder ao seu pedido. Lembrando-nos que nem sempre saber toda a verdade é a melhor opção, conta-se que ao vê-lo em toda a sua glória, Semele caiu fulminada com um raio. Ficou claro? Antes de querer saber tudo, veja bem se é capaz de aguentar…

Bem, como já sabemos da crónica anterior, Júpiter que representa a generosidade, dividiu o reino com os seus irmãos Neptuno a quem destinou o reinos dos Mares, e a Plutão entregou o reino dos Mortos. Apesar das suas brincadeiras com mortais e deusas, como governante era piedoso e protector com os fracos e sempre tentava ser justo mas podia ser muito mauzinho quando via a sua autoridade questionada.

Traduzindo para a questão do Júpiter astrológico, e conhecendo a sua posição no seu tema natal, ficará a saber em que área da sua vida pode desfrutar da sua proteção, já que é denominado o Grande Benéfico. Também ficará a saber onde pode mais facilmente cair no exagero de querer tudo, por isso, não se esqueça de questionar sobre onde em que casa astrológica ele habita no seu caso, quando estiver frente a frente com alguém habilitado a fazer essa leitura.

Fique também a saber por onde ele se passeia agora no seu mapa e que diálogo está ele tendo com os outros planetas. Isso pode ser muito útil para saber em que áreas pode encontrar o apoio e suporte para enfrentar os desafios e onde as oportunidades serão mais compensadoras. 

Como todos os Deuses, e mais este que é o chefe deles todos, necessita ser respeitado e honrado. Respeite a suas exigências e vai perceber quão maior pode ser o seu reino. Que Júpiter em Caranguejo vos proteja até nos encontremos de novo! 

Visitas ao Baú ,parte V- Mercuriando

Em tempo de Mercúrio em movimento retrógado, estas viagens ao baú para republicar estas crónicas inicialmente publicadas no Sapo Mulher, têm sido surpreendentemente agradáveis para mim. Estes textos tiveram um parto quase forçado e escrever ainda não é algo que me aconteça com facilidade, mas reler estas palavras trouxe-me vontade para me contrariar e sair da tal da zona de conforto para voltar à escrita.

Imagem

O Deus da Comunicação nasceu cheio de recursos e parece que ainda mal tinha acabado de nascer e começou logo a fazer disparates e deu sumiço numas ovelhas que Apolo guardava, voltando matreiro para o berço.

Claro que ninguém acreditou quando Apolo tentou acusá-lo. Perante Júpiter, Mercúrio arranjou maneira de não mentir, mas também de não dizer a verdade. Daí vem aquela coisa de ele ser o patrono dos ladrões e mentirosos. E ainda aproveitou por encantar os deuses com a sua lira e Apolo, deliciado com aquilo, propôs-lhe uma troca e deu-lhe o caduceu. Já perceberam porque é que ele é o patrono. Dos ladrões, mentirosos e comerciantes?? Nunca me pareceu bem estas misturas, mas os deuses são seres muito complexos, nada como os humanos. Filho de Júpiter, transportava as mensagens dos deuses, por isso não tinha residência fixa.

Ainda bem que na altura não havia cartões únicos e essas coisas, senão ele estava desgraçado de cada vez que tivesse que preencher um formulário. Na versão grega, sob o nome de Hermes, transportava os mortos até ao mundo inferior. Apaixonado por Persefone, tentou resgatá-la do mundo de Hades, sem sucesso.

Mercúrio era um deus que fazia imenso sucesso: magrinho, ágil, muito expressivo, tagarela. E, por isso, teve imensos casos amorosos, um deles com Vénus, do qual nasceu Hermafrodito.

O chapéu dá-lhe invisibilidade, os sapatos com asas dão-lhe rapidez, tem uma bolsa para guardar os seus lucros… aqui encontramos relações com o signo de Gémeos. E, no caduceu – que é uma espécie de bastão que narcotiza, mas também símbolo da sabedoria de quem conhece as ervas – a relação com o signo de Virgem. Todos os planetas (não contando o sol e a lua) têm uma coisa que se chama movimento retrógrado, mas o de mercúrio é muito famoso. Nestas alturas, é evitar assinar contratos, compras e vendas e ter duplo cuidado com o que diz e escreve.

Para finalizar, o conselho do costume: vão lá conversar com a vossa astróloga e perguntem-lhe sobre a posição por signo e casa do vosso mercúrio, vão entender bem melhor como pensam e comunicam.

Relaxamento

Olá a tod@s,

 

Tenho por hábito enviar, aos pacientes que atendo em Hipnoterapia, umas induções de relaxamento, para usarem em casa, porque isso ajuda a preparar e a reforçar os efeitos do processo terapêutico.
Esta semana uma paciente sugeriu que eu partilhasse as mesmas, por isso, apesar da fraca qualidade de gravação (que inclui ruídos de fundo…), aqui está a primeira.
Espero que possam desfrutar de momentos agradáveis enquanto relaxa. 🙂

 

até já!!